A soberba e a propaganda oficial…

Por em 2 de janeiro de 2012

Caros amigos, “nunca antes neste país” se fez tanta propaganda (enganosa) da situação deste país, visto que, para alguns muitos iluminados do governo federal, estamos vivendo no “país do éden”, e os malfeitos cometidos continuamente por nossa politicalha encastelada no poder, são mera implicância da imprensa não cooptada e das elites (das zelites, como falava o ex) insatisfeitas com o esplendor do “Brasil pós PT”…

Diz o ditado “o pior cego é o que não quer ver”, ou é desprovido de senso crítico, resultado de uma educação de péssima categoria, onde a quantidade passa a ser mais importante do que a qualidade do ensino, daí a nossa triste classificação do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) = 0,718 quando o ideal é 1,0, o que significa dizer que entre os 192 países pesquisados nossa classificação é a 84ª. Posição…

IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) é um índice que serve de comparação entre os países, com objetivo de medir o grau de desenvolvimento econômico e a qualidade de vida oferecida à população. O relatório anual de IDH é elaborado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), órgão da ONU. Este índice é calculado com base em dados econômicos e sociais. O IDH vai de 0 (nenhum desenvolvimento humano) a 1 (desenvolvimento humano total). Quanto mais próximo de 1, mais desenvolvido é o país. Este índice também é usado para apurar o desenvolvimento de cidades, estados e regiões.

No cálculo do IDH são computados os seguintes fatores: educação (anos médios de estudos), longevidade (expectativa de vida da população) e Produto Interno Bruto per capita.
Considerando a classificação dos países da América Latina, nossa situação é ainda mais crítica, vide ranking a seguir:

Desenvolvimento Humano muito Alto
1)Chile 0,8052
2)Argentina 0,797
Desenvolvimento Humano Alto
3)Uruguai 0,7834
4)Cuba 0,7765
5)México 0,7706
6)Panamá 0,7687
7)Costa Rica 0,7448
8)Venezuela 0,7359
9)Peru 0,7251
10)Equador 0,720
11)BRASIL 0,718

O que nos causa certa estranheza, mais propriamente preocupação é que o ufanismo inconseqüente de nossos governantes em comemorar que estamos alcançando a 6ª. posição mundial em temos econômicos, comemoram a passagem pelo Reino Unido, mas divulgar de forma honesta a nossa lamentável classificação em termos de IDH – Índice de Desenvolvimento Econômico, isto nem pensar…

As irregularidades em projetos, licitações e convênios com ONGs para a organização da Copa do Mundo no Brasil em 2014 contabilizaram somente no ano de 2011 um prejuízo de mais de R$ 776 milhões ao país. Este valor envolve recursos dos governos federal, estaduais e municipais que foram consumidos em obras que foram projetadas, mas nem chegaram a sair do papel.
Eu só queria entender, como conseguem dizer que para investimentos em saúde, o governo não dispõe de recursos, exceto se reviver a maldita CPMF agora renomeada de CSS – Contribuição para a Saúde, a qual seria uma contribuição cobrada sobre as movimentações financeiras, enquanto que para financiar os “Estádios de futebol” que podemos entender como elefantes brancos que serão entregues graciosamente aos clubes de futebol, diga-se de passagem, os maiores devedores da Previdência Social, para estes gastos existem os recursos ?, como diria o macaco do antigo humorismo, Não precisa explicar, eu só queria entender…

Este é o “BRASIL DE TODOS” (só se for de todos os trouxas), que arcam com a maior carga tributária do planeta, recebem os piores serviços públicos em saúde, educação e segurança, e ainda batem palma para os picaretas de plantão no governo da República…

Acooorda Brasiiil, pois pelo andar da carruagem, em breve a carroça estará puxando os burros, e nós estaremos sendo escalados para pagar todos os gastos com a Copa do Mundo 2014 e da Olimpíada de 2016, que estaremos assistindo pela televisão em razão do alto custo dos ingressos, nossa participação estará sendo pagar a conta dos desperdícios e propinas envolvidas nos eventos…

Prof. Carlos Justino da Silveira

Graduado em Pedagogia, Mestre em Administração de Empresas e Controladoria, atua na área de ensino, e atualmente em Consultoria e treinamento de pessoal, sendo Professor de Administração e Gestão Manufatureira e de Serviços do Centro Universitário de Santo André – UNIÁ.