Convivência ou realmente conivência…

Por em 27 de outubro de 2012

Caros amigos é preocupante quando nos vemos na encruzilhada entre admitir que seja mera convivência com os problemas de corrupção desenfreada que invadem nosso país, ou com a real situação de conivência que nossos governantes mantêm em relação aos seus aliados, companheiros e membros de sua staff política…

Esta dúvida cruel é alimentada pelo número infindável de escândalos denunciados pela imprensa livre deste país, e destaco imprensa livre, pois é público e notória que existe outra parcela de nossa imprensa que aceita a tutela governamental em troca de benesses, no lamentável “toma lá dá cá” que alimenta a corrupção reinante…

Mas ao analisarmos a situação do atual “sinistério” (entenda-se Ministério sinistro), chegamos a triste conclusão de que os nossos problemas não são só do atual governo, mesmo porque muitos sinistros foram herdados do governo anterior do imperador Mulla I, o que nos leva ao triste recorde da queda de seis sinistros em dez meses de governo…

Será que a presidenta atual deveria receber “medalha de ouro” no esporte nacional de “arremesso de sinistros a distância”, não é merecedora não, pois não houve ação, mas sim mera reação às denúncias da mídia sobre os escândalos, e a propalada faxina, que nunca houve, se tivesse ocorrido seria para limpar as próprias sujeiras produzidas pelos companheiros e por sua “base aliciada”, a isto sim devemos chamar de “herança maldita”…

Enumeremos os sinistros defenestrados pelas denúncias da mídia: Casa Civil – Antônio Palocci, Transportes – Alfredo Nascimento, Agricultura – Wagner Rossi, Turismo – Pedro Novaes, Esporte – Orlando Silva, além do Ministro da Defesa – Nelson Jobim, este sim saiu por dizer o que pensava de algumas figuras decorativas do governo atual, mas cá entre nós, foram apeados do poder, e só, as denúncias estão sendo investigadas, estão? só se for a passos de tartaruga manca e paraplégica tratada pelo sistema único de saúde (SUS)…

Uma realidade que não pode calar, quando as investigações e as medidas devem atingir “aos amigos dos amigos”, a impressão que temos é de que são “arquivadas debaixo dos tapetes do planalto” para não ferir suscetibilidades dos companheiros, garantindo que a corrupção e a impunidade sejam marcas indeléveis dos governantes e políticos atuais…

A grande pergunta que fica a martelar nossas mentes, “quem será o próximo a ser catapultado do sinistério ? “Mas o que realmente a população brasileira, que paga a maior carga tributária do Planeta Terra, quer saber é onde estão as medidas saneadoras, as medidas efetivas, para que os recursos públicos não sejam espalhados em contas pessoais de brasileiros que só sabem “mamar nas tetas ressecadas da nação brasileira”, e que através dos tempos posam de “bons moços”, de “salvadores da pátria”, mas que em realidade atuam para a manutenção do “status quo”, na defesa dos interesses da politicalha atual, onde estão estas medidas…

A impunidade está se tornando uma característica deste país, sendo a mesma realimentada pela conivência de muitos e pelo maldito silêncio de outros, ou passamos este país a limpo, ou seremos eternamente um povo que viverá sendo enganado pelas imagens e ideias do “Brasil cor de Rosa”, que só existe na cabeça dos canalhas, que vivem mamando nas tetas já ressecadas desta grande nação…

Acooorda Brasiiil, porque dinheiro para as nossas necessidades fundamentais, com saúde, educação e segurança não existe, porém para a construção dos “elefantes brancos” que serão usados durante a Copa de 2014 e que depois serão presenteados aos clubes de futebol, para estes desperdícios a sim, para atender a estas sacanagens, aí sim existe…

Quem será o próximo?

Prof. Carlos Justino da Silveira

Graduado em Pedagogia, Mestre em Administração de Empresas e Controladoria, atua na área de ensino, e atualmente em Consultoria e treinamento de pessoal, sendo Professor de Administração e Gestão Manufatureira e de Serviços do Centro Universitário de Santo André – UNIÁ.