Até quando a impunidade vai continuar…

Por em 10 de dezembro de 2012

Caros amigos, há muito tempo estamos convivendo com a irresponsabilidade de todos aqueles que se permitem tomar o volante de um veículo, quando em realidade não estão nem em condições de puxar uma carroça, pois seu cérebro está dominado pelo poder do álcool ou de outras drogas…

Refiro-me a impunidade, pois a legislação vigente ao determinar que os motoristas, quem quer que fosse, deveriam ser fiscalizados através do “bafômetro”, poderia ter surtido o efeito pedagógico necessário, caso não vigorasse o maldito “jeitinho brasileiro”, onde se definiu de forma sacana, de que os motorista podem se negar a soprar o bafômetro, visto que ninguém é obrigado a formar prova contra si!!!

Vidas e mais vidas são ceifadas, o que representa que 40.000 pessoas morrem por ano, vitimadas por acidentes de trânsito que em sua causa principal tinha um motorista alcoolizado, imaginem o custo social que estas mortes representam, e pouco ou nada tem sido feito contra esta lastima…

Não se trata de puritanismo não, respeito o direito que qualquer cidadão tem de beber, de encher o seu caco de qualquer tipo de bebida, desde que o mesmo não se transforme num homicida convicto ao tomar o volante de um veículo, o qual passa a ser uma arma na mão de um  bêbado irresponsável…

Em países desenvolvidos, a punição para o motorista que dirige alcoolizado é severa, verdadeira e se aplica a qualquer cidadão independentemente de sua classe social, mesmo porque nos países desenvolvidos as pessoas são todas iguais perante a lei, o que em nosso país  é somente um preceito constitucional, contido no Art. 5º. de nossa Carta Magna, que infelizmente é mais desrespeitado do que as meninas da Casa da Eni…

Entristecemos-nos, ao verificar que os fatos nos provam que punição neste país é reservada aos 3 Ps (Pobre, Preto e Prostituta), pois todos aqueles que dispuserem de dinheiro (limpo ou sujo) poderão contratar famosos advogados que conseguirão através dos descaminhos da lei, encontrar formas de evitar a punição prevista na lei…

O número de vitimas dos alcoólatras motorizados são tão altos, ocorrem com tanta freqüência, que infelizmente se tornam meras informações estatísticas, e os números são frios, não podem demonstrar a dor que enluta as famílias que perdem: seus pais, suas mães, seus filhos, suas filhas e demais entes queridos…

Com freqüência verificamos que o condenado por estes crimes tem suas penas transformadas em fornecimentos de cestas básicas, ou em serviços comunitários, como se os bandidos alcoolizados merecessem este tipo de beneplácito…

A população brasileira, precisa dar um basta em tamanha impunidade, precisa exigir que a legislação em vigor seja aplicada com todo o rigor, a todos os motoristas bêbados causadores de acidentes que geram vitimam fatais ou ainda vitimas mutiladas, em respeito às famílias sofredoras…

Acooorda Brasiiil, que a próxima vítima pode ser você ou alguém de sua família, e aí de nada adiantará chorar…

 

Prof. Carlos Justino da Silveira

Graduado em Pedagogia, Mestre em Administração de Empresas e Controladoria, atua na área de ensino, e atualmente em Consultoria e treinamento de pessoal, sendo Professor de Administração e Gestão Manufatureira e de Serviços do Centro Universitário de Santo André – UNIÁ.