Famílias de Jundiaí e Várzea morrem em Praia Grande

Por em 20 de dezembro de 2012
Famílias de Jundiaí e Várzea têm 4 mortos no mar

Parentes comemoravam casamento realizado no sábado. Entre os mortos está menina de 11 anos

Quatro pessoas de uma mesma família, residentes em Jundiaí e Várzea Paulista, morreram afogadas, ontem, no Balneário Maracanã, na Praia Grande, durante comemoração de casamento de uma das vítimas, realizado no último sábado. Entre os mortos está uma menina de 11 anos.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, duas adolescentes e uma criança brincavam no mar, quando uma onda as arrastou. Rogério Garcia Miranda, motorista de 41 anos e recém-casado, morador no Jardim América, em Várzea, seu cunhado, o modelista Rodrigo Gomes Ferreira, de 27 anos, do Jardim Carpas, em Jundiaí, e seu filho, Caio Cesar Garcia Miranda, 17, estudante, estariam na areia e tentaram ajudá-las, afogando-se. Eles teriam sido retirados da água com quadro de parada cardiorrespiratória e, apesar de manobra para ressuscitá-los, não resistiram.

Ana Júlia Mendes Souza, 11, sobrinha de Rodrigo, seguia desaparecida na tarde de ontem. Seu corpo foi encontrado por volta das 16h30, durante buscas de homens do Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMar), com utilização de um bote e de uma moto aquática, e apoio de um helicóptero Águia, da Polícia Militar.

Jéssica Eduarda Ferreira da Silva e Gabriela Fernanda de Araújo, ambas de 13 anos e parentes das vítimas, conseguiram se salvar e foram encaminhadas ao Pronto-Socorro Quietude. Segundo o hospital, elas, que residem no jardins Primavera e Tamoio, em Várzea Paulista e Jundiaí, não correm risco de morte. Além delas, uma menina de 10 anos e um garoto de 13, também da mesma família, estavam no mar no momento do acidente, mas conseguiram sair sozinhos.

Segundo os Bombeiros, as vítimas foram atingidas por uma corrente de retorno (refluxo do volume de água que retorna da costa de volta para o mar) e caíram em uma vala. O afogamento coletivo teria sido percebido por um salva-vidas, que acionou os bombeiros.

Comemoração

Cunhada de Rogério e mãe de Jéssica, Márcia Gomes Ferreira contou que o motorista havia se casado com sua irmã no sábado, e que ambas as famílias comemoram a união no litoral, onde chegaram na manhã de ontem, em uma van. Antes de almoçarem, resolveram ir à praia. Ali, os adultos teriam permanecido na areia e as crianças, entrado na água, brincando de pular ondas, quando a corrente as atingiu.

Juliana Gomes Ferreira Miranda, 29 anos, esposa de Rogério, estava no local e testemunhou o incidente. Ela, que celebrava sua lua de mel, prestou declarações, ontem à tarde, no 2º DP da Praia Grande, onde o caso foi registrado.

Colaboração: Geraldo Dias Netto