Como seria bom…

Por em 10 de janeiro de 2013

Caros amigos imaginem neste janeiro infernal dos IPTUs, IPVAs, Cartões de Créditos recheados do final de ano, da matrícula escolar dos filhos, dos materiais escolares para novo ano, só imaginem se recebêssemos “também” um pequenino reforço do 14º. E 15º. Salários, como seria bom…

Imaginaram, estão sorrindo, felizes da vida, fazendo até planos para gastar o restante após os pagamentos, tudo bem, agora acordem se necessário peça a sua sócia de infortúnio, que lhe dê um beliscão na sua região baixa mais sensível (também conhecida como bolsa escrotal), doerá, mas você acordará, para encarar a realidade, sem 14º. E 15º. Salários, pois você “também” é responsável ou irresponsável por esta situação…

Nem todos neste país são deputados e senadores, mas todos nós somos culpados pela escolha dos mesmos, como disse o moluscão no passado “são mais de trezentos picaretas”, o desculpem, ele não é bom de matemática, ou melhor, em nada, pois sustentamos 81 senadores e 513 deputados federais, num total de 594 parlamentares, se é que podemos chamá-los respeitosamente desta forma, pois suas maiores atitudes são de pura picaretagem…

Se de um lado, ajoelham para o Executivo federal, e passam o ano inteiro (desculpem a piada, são três dias por semana: 3as/4as e 5as. feiras) aprovando as MPs (Medidas Provisórias), não legislam coisa nenhuma (sendo educado, pois esta coisa deveria começar com “P”), barganham mais que vendedor da 25 de março em troca das suas verbas, mas são os únicos trabalhadores deste país, que não são avaliados pela meritocracia, e o que é mais importante são os únicos “trabalhadores” do país que definem a sua remuneração e seus apêndices…

Muito embora quando da avaliação do projeto que extingue o pagamento dos 14º e 15º. Salários para o Legislativo, tenha sido aprovado no Senado, porém o assunto está parado na Câmara dos deputados a espera de um novo relator para avaliação em 2013, e por lá ficará engavetado, mesmo porque o “passa moleque” (+/- R$ 53.000,00 por parlamentar) já foi pago a todos os “parlasacanas” (mistura de parlamentares com sacanas), sem que os valores fossem devolvidos (exceção feita a três parlamentares)…

Quando nos deparamos com uma carga tributária que nos rouba cinco meses de salários, ficamos “triputos”, esperneamos, xingamos, mas pagamos, ou melhor, nos descontam, e ficamos sem saber que crime cometemos para sermos garfados em 42% de nossa renda anual, é lógico que o 14º e o 15º dos parlamentares é só uma parcela da garfada total, ainda existem as estatais e seus fantásticos quadros de apaniguados, os marajás comissionados pelo governo e por aí afora…

Pare de xingar e de ser mal educado, bem feito para você que elegeu esta cambada de picaretas, quer seja do legislativo ou do executivo, a culpa é sua também, se o nosso país está na situação em que está todos nós temos assumir a nossa parcela de culpa, é lógico que a sacanagem política é muito grande, é escândalo prá cá, é corrupção prá lá, é superfaturamento prá cá, negociata prá lá, é toma lá da cá, e assim caminha a calhordagem política nacional…

Vamos louvar as exceções existentes, mas são tão poucas, mas tão poucas, que nossa louvação iria durar alguns segundos…

E alguns entendidos (não sei do que) do governo ficam analisando as razões pelas nossas empresas perdem em competitividade em relação às demais empresas internacionais, os espertos precisam entender que só aqui existem dois Brasis, “O Brasil que gasta a rodo” e o “Brasil que paga a conta das sacanagens”, e os primeiros não estão interessados em quem gera a riqueza, mas sim na forma perdulária de gasta-la…

E o “Pibinho” (Produto interno bruto diminuto), o “G. Manteiga” quase derreteu para encontra as explicações do inexplicável, mas a saída pela tangente foi a de que em 2013 reagiremos, mais parece o Gilson Kleina explicando a situação do meu verdão na segunda divisão…

Mas voltando aos 14º e 15º salários do legislativo, precisamos brigar e colocar a boca no trombone, exigir seriedade e honestidade por parte dos parlasacanas (se é que isto é possível) para suspender esta excrescência, pois se nos calarmos, além de não extinguirem o que existe, em breve estarão instituindo em benefício próprio o 16º, 17º. Salários, e nós pagaremos mais esta conta…

E como as situações são incompatíveis em nosso querido país, de um lado os 14º. e 15º. Salários dos parlamentares, e de outro as aposentadorias acima do mínimo serão reajustadas somente em 6,15%, índice da inflação, diferentemente dos demais aposentados que receberão 9,0%…

Acooorda Brasiiil, pois pelo andar da carruagem eles vão te afundar e depois nem Portugal vai aceitar a devolução…

 

Prof. Carlos Justino da Silveira

Graduado em Pedagogia, Mestre em Administração de Empresas e Controladoria, atua na área de ensino, e atualmente em Consultoria e treinamento de pessoal, sendo Professor de Administração e Gestão Manufatureira e de Serviços do Centro Universitário de Santo André – UNIÁ.