Bandidos roubam cargas de carne

Por em 15 de janeiro de 2013
Foto: Alexandre Martins\JJ.

Em menos de 24 horas, dois roubos de carga foram registrados em Jundiaí pela polícia. Em um dos casos, ladrões roubaram aproximadamente 10 mil em eletroeletrônicos no Jardim São Camilo, por volta das 14h30 de domingo. Na manhã de ontem, foi a vez de um caminhão carregado com carne ser roubado na rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto, que liga Jundiaí a Itu.

A mercadoria, pesando aproximadamente 2,5 toneladas, está avaliada em R$ 30 mil e pertence a uma rede de frigoríficos. Segundo o condutor da Kombi que transportava os eletroeletrônicos, a carga havia sido carregada em um depósito em Itatiba e seria entregue a compradores de diversas cidades na Região de Jundiaí.

Em uma das entregas, no Jardim São Camilo, ele foi rendido por dois assaltantes que ocupavam uma motocicleta de placa BSO 7297 e levado a um local isolado do bairro, sob a mira da arma de fogo do garupa. O motorista informou que o assaltante que pilotava a moto assumiu a direção da Kombi e deixou o local, retornando com o veículo vazio, meia hora depois.

Além das 15 mercadorias roubadas, foram levadas as notas fiscais. O motorista afirmou que não teria condições de descrever os assaltantes, já que foi proibido de olhar para eles.

Roubo de carne - Por volta das 7h30 de ontem, criminosos ocupando uma van Sprinter, de cor cinza, renderam na rodovia Dom Gabriel, em Jundiaí, motorista e ajudante de um caminhão Iveco carregado com 2.564 quilos de carne, entre picanha, filé mignon, contrafilé e outros.

Segundo relato das vítimas à polícia, um dos ladrões portava arma de fogo e as obrigou a parar no acostamento, colocando-as em seguida no baú da Sprinter, onde permaneceram, rodando pela região, por cerca de 10 minutos. O outro bandido teria assumido a direção do caminhão, parando após esse tempo para a transferência da carga entre os veículos.

Tanto o ajudante quanto o motorista também não souberam descrever as características físicas dos ladrões, pois teriam permanecido com a cabeça baixa durante toda a ação criminosa. O caso foi registrado pelo escrivão Xororó, no 7º DP.

Colaboração: Geraldo Dias Netto\JJ.