Emoção na encenação da Paixão de Cristo

Por em 31 de março de 2013
Jornal de Itupeva

Uma das datas mais importantes para os cristãos, a Paixão de Cristo, foi revivida nas noites de sexta (29) e sábado (30), em Itupeva, pela Cia de teatro “Educando com Arte”, na pista de skate do Complexo Esportivo e de Lazer Dorival Raymundo.

Desde 2006, a apresentação é promovida pela Prefeitura de Itupeva, hoje mantida pela diretoria de Educação e Cultura. A Cia de Teatro é formada por alunos de Itupeva, que foram maioria no elenco da “Paixão de Cristo”. A peça também contou com artistas de outras cidades, convidados especiais para o evento.

A coordenadora da Companhia, Priscila Modanesi, disse que a encenação da peça no local dá mais realismo ao espetáculo. “A peça ao ar livre dá mais realidade à história. Os atores transitam pela praça do skate, onde cada local ocorre uma cena.”

O cenário com areia e o relevo da pista de skate, este ano contou com maior aparato de som e luz, fato que contribuiu com maior realismo à cena.

Diferenciar-se das outras encenações apresentadas pelo país, fez com que o começo da peça contasse com o maior símbolo do cristianismo.

“Começarmos o espetáculo com a imagem de Jesus Cristo na cruz e depois, como em um flashback, voltamos para o momento em que ele é batizado pelo primeiro profeta que figura o Novo Testamento, João Batista”, explicou a coordenadora da Companhia Priscila Modanesi.

Outras partes também chamaram muita atenção, como quando “Jesus com uma mulher em seus braços fala “que atire a primeira pedra eu nunca pecou” e de repente todos congelam em cena e ela começou a falar” disse José Netoni Gomes.

Os milagres de Jesus Cristo, mesmo após mais de 2 mil anos, ainda impressionaram a plateia. “A parte de Lazaro sempre me chama atenção pelo fato de trazer de volta a vida um morto” fala Cristina de Araújo Silva.
O que não passou despercebido na encenação de Itupeva das demais cidades é o personagem de Jesus, que fisicamente se distância do clássico, com cabelo ralo e escuro, sem feições europeias, características de muitos personagens de Cristo.

Pelo terceiro ano seguido, Leonardo Rodrigues foi protagonista da história. Ele contou o que mudou em seu personagem para esse ano.

“Em meu ponto de vista, o personagem esse ano está mais poético e ao mesmo tempo muito humano. Acredito que isso tenha agradado o público, pois as citações bíblicas já são filosóficas e ainda com um toque de poesia ficaram melhores ainda.”