Moradores são resgatados em bote dos Bombeiros

Por em 13 de abril de 2014
Jornal de Itupeva

Uma força tarefa foi montada em Itupeva, para resgatar famílias que tiveram suas casas alagadas, na noite deste sábado, após uma chuva torrencial que durou menos de 40 minutos. Os principais pontos alagados foram a rua Cabreúva, no Jardim Samambaia; rua Jundiaí, no Centro e a Avenida Ulisses Guimarães, na Vila São João, ambos afetados pelo transbordamento dos córregos da Lago a e Piracatu, respectivamente.

O alerta partiu da Secretaria Municipal de Defesa Civil, que permaneceu de prontidão nos pontos críticos do município durante toda a chuva. Ao primeiro sinal de que os córregos transbordariam, foram acionados a Guarda Municipal, Divisão Municipal de Trânsito e as respectivas secretarias que compõe o COMDEC –Conselho Municipal de Defesa Civil, que tiveram os trabalhos coordenados pelo Secretário da Pasta, Eduardo Cruz.

Com apoio de um bote salva-vidas, o Corpo de Bombeiros ‘navegou’ pela rua Cabreúva e resgatou moradores da parte mais baixa da rua, onde no interior das residências a água chegou a 1 metro de altura. Idosos, crianças, uma mulher grávida e até um pequeno cãozinho estavam entre as vítimas do alagamento.

Todas estas regiões, que margeiam os córregos Piracatu e da Lagoa, sofrem com alagamento há décadas, já que os referidos loteamentos foram construídos em nível muito próximo ao do rio Jundiaí, fato que provoca o refluxo (retorno) das águas por meio da canalização de esgoto, ficando ainda impossibilitado qualquer escoamento de água pluvial. Com isso, algumas casas, mesmo possuindo comportas com isolamento de borracha, acaba sendo alagada, já que a água volta por ralos e encanamentos.

No bairro Monte Serrat, um muro desabou e atingiu parte de uma residência. Ainda não há dados oficiais da quantidade de pessoas e casas prejudicadas. Segundo a Secretaria Municipal de Defesa Civil de Itupeva não houve nenhuma família desalojada ou desabrigada.

Prefeitura lamenta o ocorrido e presta apoio às famílias

Ainda na madrugada de domingo (13) o Prefeito Ricardo Bocalon visitou as áreas atingidas e determinou que todas as ações que minimizem os danos sejam prioridade para o Governo Municipal. A Prefeitura está solidária com os munícipes e seus familiares, e direcionou equipes que mantiveram contato com os moradores durante toda a madrugada.Logo após baixar o nível das águas, equipes de limpeza já percorriam os bairros para recolher o lixo deixado pelas águas, bem como limpar as ruas e avenidas, ação intensificada nas primeiras horas da manhã seguinte.

A situação foi agravada pelo excesso de volume de água que caiu neste sábado, que ultrapassou a capacidade de escoamento. De acordo com a Secretaria de Defesa Civil, choveu mais de 100 mm, de acordo com o pluviômetro, em apenas 40 minutos.

“Foi um volume de água muito intenso e logo que tomamos conhecimento do incidente, direcionamos toda atenção aos moradores, sedo providenciada a entrega imediata de água potável e lanches, além de um kit limpeza, formado por água sanitária, rodo, vassoura e balde. Também providenciamos a triagem das famílias, que deverão receber colchões e todo apoio por parte da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social”, disse o prefeito.
Desde janeiro de 2013, a administração municipal desenvolve obras e promove ações contra enchentes, mantendo um plano integrado que envolve 13 secretarias municipais. Os pontos mais críticos da cidade passaram e continuam passando por intervenções, principalmente na questão da limpeza e desassoreamento dos córregos. Outras ações estão em fase de detalhamento de obra, todas visando os problemas crônicos de alagamento.

Reunião com moradores
O prefeito Ricardo Bocalon, em caráter emergencial, abriu as portas de seu gabinete, às 9h30 da manhã deste domingo, quando recebeu moradores da rua Cabreúva, localidade de maior preocupação por parte do Governo Municipal.

“Não podemos esconder a realidade da população. Esse é um problema crônico que tem que ser resolvido da melhor forma possível, mas sempre com a participação popular, motivo pelo qual estou abrindo as portas do Paço Municipal, exclusivamente, para debater planos que minimizem os prejuízos e busquem a solução para estes tristes casos de alagamento em nossa cidade” concluiu, Bocalon.