Brincadeiras de infância no sítio dos tios de Antonio Geraldo

Por em 28 de julho de 2014

(No meu tempo de criança XXXVI)

Quando janeiro chegava e trazia em sua bagagem as férias sonhadas, a alegria e a felicidade tomavam conta de Antonio Geraldo. Afinal, era hora de transformar em realidade os momentos sonhados durante o ano todo e seguir para o sítio dos tios Nino e Isaura, no Caxambu, bairro da Roseira, em Jundiaí. Era ali que se podia brincar à vontade com o primo Nei que sempre estava ansioso esperando pela chegada de Antonio e desfrutar dos longos caminhos entre o pasto com os bois, no paiol, para debulhar milho ou se esconder entre as palhas secas e quebradiças do local.

A cada dia que Antonio permanecia no sítio, surgiam novas brincadeiras, uma mais surpreendente que a outra e os animais ali existentes sempre fizeram parte de sua vida. Durante as tardes cheias de sol, os primos corriam pelo campo, junto com os cães viralata dos vizinhos e apostavam corrida com eles. Claro que a vitória era sempre do marronzinho Joli, mas era uma alegria brincar assim… sem compromissos! E ao final do dia, na hora do sol se por, eles chegavam na casa do sitio, completamente amarronzados, com capim espalhado pelo corpo e suados de tanto correr e brincar.

Mas nada de broncas dos tios, afinal, as crianças chegavam felizes à casa do sítio e tia Izaura e tio Nino esperavam a todos com um pão caseiro fresquinho, feito no forno à lenha, e mortadela que perfumava a casa toda. Se não bastasse isso, lá vinha também o leite que acabara de ser tirado da vaca, com café coado na hora.

O hummmmmmmmm que percorria os ares da casa, num eco de aprovação por tudo o que acontecia naquela hora! Não havia nada mais agradável para Antonio do que estas férias cheias de paz, alegria e muita, muita brincadeira: um primo Nei, muitas aventuras pelo sítio, tios inesquecíveis, uma produção de uva que perdura até hoje e uma saudade de tomar a máquina do tempo, marcar novamente os anos de 1970 e voar para o Caxambu. Só pra ser criança outra vez!!! (Uma história de Antonio Geraldo Marquesim. Texto: Nelson Manzatto)

 

Nelson Manzatto

Jornalista profissional desde 1976 e escritor desde 1998 quando publicou seu primeiro livro. Membro da Academia Jundiaiense de Letras desde 2002 onde ocupa a cadeira número 39. Publicou os seguintes livros: “Surfistas ferroviários ou a história de Luzinete“, em 1998; “Contos e Crônicas de Natal”, em 2007 e "Momentos - Crônicas de Nelson Manzatto", lançado em 2012 durante a 22ª Bienal Internacional do Livro. http://blogdonelsonmanzatto.blogspot.com.br/