Jovens caem no golpe da pirâmide Mandala

Por em 23 de abril de 2017
Mandala: Jovens caem no golpe da pirâmide financeira em Itupeva

A palavra “Mandala” tem ganhado repercussão nas redes sociais em Itupeva.

O sistema acontece por meio de grupos no WhatsApp que prometem um ganho de R$ 1.000 mediante o investimento de R$ 125. O Facebook também vem sendo um meio de divulgação para a captação de novos participantes, já que sem eles a ‘corrente quebra’ e ninguém recebe nada.

Segundo uma estudante, moradora da Vila São João, e que não quis se identificar, ela só percebeu que era golpe depois que perdeu o dinheiro que depositou e não viu os mil reais prometidos em sua conta bancária.

“Várias pessoas saíram do grupo em que eu estava, mas ninguém quer falar nada por medo.  Todo mundo fica quieto por medo e vergonha de dizer se envolveu em um método que prometia dinheiro fácil. Nunca pensamos que poderia ser um golpe, tanto que até chamei pessoas de minha própria família para participar. Eu nunca devia ter entrado nisso ou pelo menos pesquisado mais sobre a Mandala antes”, disse.

Nesse sistema, o dinheiro é depositado diretamente na conta bancária pessoal do participante e cada um é responsável por convidar novas pessoas. Não existem produtos sendo comercializados. O sistema é dividido em quatro grupos – fogo, ar, terra e água. Ao aderir, o usuário investe os R$ 125 e precisa convidar mais duas pessoas para que também invistam. Depois de completar a quantidade necessária de participantes, recebe de cada um o valor também de R$ 125.

De acordo com informações extraídas de artigos da internet feitos por órgãos de segurança, a mandala tem características de uma pirâmide financeira. Basta uma pessoa com a mínima noção sobre o sistema para ver que é impossível você dar R$ 125 e receber R$ 1000.

É certo que alguém está pagando esse dinheiro por você. Quem vai entrando de início tem que sustentar a rede de recurso. Cada indivíduo vai contribuindo para quem está acima, de forma que, se alguém não fizer o depósito, o sistema se quebra.

O problema é que muita gente vai depositar e não vai ganhar nada.

Segundo a estudante, das pessoas que entram na ‘mandala’ 80% são mulheres.

Falta de aviso não é, já que o Jornal de Itupeva vem elaborando matérias diversas sobre esse assunto, desde que a tal ‘mandala’ chegou na cidade.