Incêndio consome mata nativa no Cafezal

Por em 2 de julho de 2018
Incêndio consome mata nativa no Cafezal

Diversos focos de incêndio vem vitimando o Parque dos Cafezais, que é uma região onde se concentra o maior número de chácaras de Itupeva. Os maiores focos estão entre os Cafezais 1 e 4, onde a fumaça pode ser vista de longe.

O Corpo de Bombeiros de Itupeva foi acionado e com certeza terá muita dificuldade de combater o fogo devido a dimensão tomada pelo incêndio.  Este mesmo local esteve em chamas há alguns dias, porém, nesta segunda-feira, dia 2, o fogo aumentou bastante e vem consumindo uma grande área de mata nativa.

Moradores vizinhos demonstraram preocupação com a proporção do fogo, já que no local existem inúmeras chácaras, algumas já bem próximas das chamas.

O Corpo de Bombeiros pede a conscientização da população para que evitem jogar ponta de cigarro aceso nas proximidades de matas.

RISCOS DA FUMAÇA DE INCÊNDIO

A fumaça originada da combustão pode causar morte ou graves lesões por 3 mecanismos básicos: injúria do trato respiratório pelo calor do ar respirado, asfixia por falta de oxigênio e irritação direta da árvore pulmonar pelas substâncias químicas inaladas.

As lesões térmicas pela fumaça, ou seja, as queimaduras causadas pelo calor da fumaça nas vias aéreas, geralmente se limitam à região da orofaringe. O contato das vias respiratórias com ar muito quente estimula o fechamento da glote, diminuindo a passagem de calor para dentro dos pulmões.

Outro fator de proteção é a elevada dissipação de calor no trato respiratório superior, que ajuda a reduzir a temperatura da fumaça antes desta chegar aos pulmões. Experimentos em animais mostram que fumaça inalada a 142ªC chega a arrefecer até 38ªC no momento em que alcança os brônquios principais, já não sendo mais capaz de queimar os pulmões. Uma exceção ocorre no caso de aspiração de calor úmido, como vapores, que conseguem manter-se quentes até os pulmões, podendo causar sérias lesões térmicas nos mesmos. O ar úmido quente é mais perigoso que o ar seco quente.

A lesão pelo calor pode provocar grave edema (inchaço) das vias aéreas, obstruindo a passagem do ar para os pulmões, de modo semelhante ao que ocorre em casos de alergia grave e edema de glote. Sem conseguir respirar, o indivíduo morre por asfixia.