Missão Professor: 30 anos ensinando voleibol em Itupeva

Por em 17 de outubro de 2018
Missão Professor: 30 anos ensinando voleibol em Itupeva

Quando se fala em professor, a grande maioria das pessoas se lembra da figura do educador dentro de uma sala de aula, frente a uma lousa, mas se esquece que, na verdade, ele está nas mais diversas áreas, como no esporte. Na própria Prefeitura de Itupeva, a secretaria de Esportes e Lazer é formada, basicamente, por professores que há muito tempo têm se dedicado a ensinar no município.

Este é o caso de José Geraldo Ramos, o Chinha, que em 2018 completa 30 anos como professor de vôlei em Itupeva, modalidade na qual acumulou títulos durante a juventude e quase chegou à Seleção Brasileira.

O envolvimento com o esporte esteve presente desde a infância e mesmo quando trabalhava como programador de produção, nos anos 70, jogar vôlei era sua verdadeira paixão, que exercia sempre que possível. “Naquela época ainda não tinha profissionalização, isso veio só na metade dos anos 70”, conta. “Eu jogava por Jundiaí e conquistamos mais de 15 títulos regionais. Comecei a jogar com 13 anos e com 15 fui convocado para a Seleção Paulista pela primeira vez, tendo conquistado o título brasileiro em Curitiba”.

A carreira esportiva quase rendeu uma vaga de levantador na Seleção Brasileira, no time que conquistou bons resultados, como as medalhas de prata no Mundial de 1982 e nas Olimpíadas de Los Angeles em 1984. Conhecida como a Geração de Prata, a equipe ajudou a melhorar o nível do voleibol nacional, pavimentando o caminho para que se tornasse o segundo esporte preferido dos brasileiros (atrás apenas do futebol). Chinha era suplente de um dos principais jogadores daquele time, o capitão William (Carvalho da Silva), que serviu o Selecionado por muitos anos.

Já naquele tempo, a vocação para professor se manifestava mesmo antes da formação. “Eu já era técnico de categorias de base em Jundiaí, antes de me formar como professor em 1983. No ano seguinte fiz pós-graduação em voleibol e comecei a dar aula em Itupeva em 1988, quando a cidade tinha ainda cerca de 8 mil pessoas”, relembra.

Hoje, aos 68 anos, apesar de aposentado, Chinha continua praticando (na equipe sênior) e fazendo valer seu título de professor. “Pretendo continuar enquanto tiver saúde, faço porque gosto mesmo, pelo amor ao esporte e à profissão”, revela e, como bom educador e “parceiro de time”, faz também questão de ressaltar o trabalho conjunto realizado com a professora Adriana Arista Silva, que em 2019 completa 25 anos à frente do voleibol feminino no município. “A gente faz um grande trabalho em dupla, não só na base, mas também com os times de competição”, conclui, satisfeito.

Juntos, ambos já são responsáveis por duas gerações de vôlei na cidade, tendo filhos de antigos alunos passando pela aprendizagem que os pais receberam. E no que depender dos nobres e dedicados professores itupevenses, as lições vão continuar valendo não só no esporte, mas para a vida toda.