Decreto de Dilma considera rompimento de barragem como ‘desastre natural’

Por em 28 de janeiro de 2019
Em 2015, Dilma assinou decreto que considerou rompimento de barragem como ‘desastre natural’

Em novembro de 2015, alguns dias após o rompimento da barragem da Samarco em Mariana (MG), a então presidente da República Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), editou um decreto para que o “rompimento ou colapso de barragens” fosse considerado desastre natural.

Na ocasião, a Casa Civil afirmou que o decreto havia sido feito para incluir possibilidade de resgate do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) das vítimas – mesmo que tal medida facilitasse a impunidade.

Nesta semana, mais um rompimento ocorreu em Minas Gerais, também ligado à empresa Vale, deixando mais de 350 desaparecidos até o momento.