Polícia apreende armamento pesado em ‘super galpão do crime’ em Itupeva

Por em 22 de fevereiro de 2019
Jornal de Itupeva

A cidade de Itupeva está sendo, mais uma vez, foco dos noticiários policiais do país. Desta vez foi por conta da descoberta de um ‘super galpão’, localizado no Jardim Primavera, onde eram armazenadas grande quantidade de produtos roubados.

O dono do empreendimento, que funcionaria como entreposto de distribuição da mercadoria, foi preso e será autuado por receptação e porte de arma. Além do armamento e das mercadorias, a polícia também apreendeu um colete balístico.

O ‘prédio do crime’ foi estourado por Policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), na manhã desta quinta-feira (21), em Itupeva (SP). O dono do empreendimento, que funcionaria como entreposto de distribuição da mercadoria, foi preso.

No local a equipe encontrou armamento e munições, além de coletes balísticos e bloqueadores de sinais. De acordo com a polícia, a quadrilha usaria o material para simular falsos bloqueios e facilitar a abordagem dos motoristas das transportadoras.

A ação foi realizada por policiais da 4ª Delegacia Patrimônio (Investigações sobre Roubo a Condomínio). A equipe apurava informações sobre um roubo de carga com armazenamento do produto em um galpão. Também havia a possibilidade da ocultação de armas para a realização de crimes.

O galpão tinha muro alto, várias câmeras e diversos corredores com prateleiras e muita mercadoria amontoada. Segundo a polícia, os produtos eram distribuídos na área de comércio popular de São Paulo: 25 de março e Brás. No armazém tinha até uma empilhadeira para movimentar a carga.

“Alguns [produtos] a gente pode dizer que são contrabandeados, a gente acredita que eles estão sendo subtraídos de algum indivíduo que está trazendo esse material já de alguma forma contrabandeado. Alguns outros não são de fora, mas não têm a procedência legal, nada que justifique a existência desses materiais dentro desse galpão”, explica o delegado do Deic, Roberto Afonso da Silva.

De acordo com a investigação, a quadrilha era formada por várias células, sendo que uma delas simulava bloqueios em rodovias para facilitar a abordagem dos motoristas das transportadoras. Eram assaltantes disfarçados de policiais para cometer o crime.

O caminhão foi localizado em frente ao depósito de cargas, no Jardim Primavera. Durante a abordagem foram encontrados dentro do veículo uma espingarda calibre 12, um carregador para fuzil, munições, dois coletes táticos, placas de automóveis e um bloqueador de sinais de 16 antenas.

O veículo havia sido roubado em Santa Bárbara D’Oeste, em maio do ano passado, e tinha as placas trocadas para dificultar a investigação da polícia.

“Dentro do caminhão tinha armamento pesado calibre 12, carregador de fuzil, colete tático, tinha inibidor de sinais muito usado por criminosos para evitar a identificação do veículo roubado. Entraram no galpão e encontraram uma infinidade de material lá sem procedência nenhuma: móveis, carga de canivete, vestuário, tapete, rede, encontraram uma coisa absurda lá dentro”, continua o delegado.

Além do proprietário, os policiais detiveram dois supostos funcionários do galpão. Devido à falta de documentação, as mercadorias armazenadas serão apreendidas e o dono será autuado por receptação e porte de arma.