Canil da GCM auxilia conclusão do caso da menina desaparecida em Mongaguá

Por em 23 de abril de 2019
Canil da GCM auxilia conclusão do caso da menina desaparecida em Mongaguá

A equipe do canil da Guarda Civil Municipal de Itupeva, composta pelos GCM Santos e Martins, e sob a supervisão do Sub Inspetor Saraiva, atendeu a solicitação dos delegados Dr. Francisco Venceslau e Dr. Luiz Carlos Vieira, e deslocaram-se a cidade de Mongaguá, no litoral sul de São Paulo, para apoiar a Polícia Civil, no caso da menina Kauane Cristhiny Soares Rodrigues, de 6 anos, que estava desaparecida desde a madrugada do dia 17 de abril.

Ao chegar à cidade, no domingo (21), a equipe de Itupeva fez um breve levantamento da situação e coletou artigos de odores da criança através de um caderno da menina. Pelo horário avançado, as equipes acharam por bem começar as buscas na primeira hora do dia seguinte.

Na segunda-feira (22), com os trabalhos de trilha iniciados, o cão Max levou as equipes até um terreno de mata, onde pelo local encontrava-se um morador de rua. Sendo que o morador já tinha sido ouvido na data anterior pela Polícia Civil, porém liberado por falta de provas.

Pela indicação maciça do cão de Itupeva e da cadela Ranabela da Guarda Civil Municipal de Itu, que também estava apoiando nas buscas, o delegado achou por bem deter provisoriamente o morador de rua.

Com a continuidade dos trabalhos, Max delimitou um perímetro onde continha maior concentração de odor da pequena Kauane. Sendo esse perímetro um canal pluvial de aproximadamente 7 km, de modo que o cão ao trilhar cerca de 50 metros encontrou o corpo da criança. O indivíduo detido que acompanhava as buscas na viatura da Polícia Civil resolveu confessar o crime, porque, segundo ele, o cão encontraria o corpo de qualquer maneira.

“A Importância deste trabalho ainda que o final não fosse o esperado, encontrar o corpo da menina sem vida, vem para confirmar a excelência do nosso cão, pois com o Max já participamos de mais de 20 municípios com ocorrência de pessoas desaparecidas, em que o nosso cão Itupevense auxiliou com sucesso”, comentou o GCM Santos.

“Para nós que trabalhamos no dia a dia com o Max, conhecemos a capacidade do cão e confiamos plenamente na indução do mesmo, visto que a dedicação nos treinamentos do cão e de toda equipe são diárias”, destacou o comandante da Guarda Municipal, José Augusto Alves.

A equipe do Canil da Guarda Civil Municipal também atuou em outro caso de repercussão nacional, o caso da menina Victória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos em Araçariguama/SP.