Blogs e Colunas

  • O grande trabalho de Plínio Vicente no JC

    Conheci Plínio Vicente da Silva na década de 1960. Por ser amigo de meu irmão mais velho, Ademir, algumas vezes Plínio aparecia em casa ou, no primeiro de maio, fazíamos pic-nic juntos. O ponto de encontro era o Seminário Jordaniano, em Várzea Paulista, onde os Congregados Marianos da Vila... Leia Mais

  • Colunistas sociais em destaque

    Jamil Giacomello foi o primeiro colunista social que conheci. Quando comecei no Jornal da Cidade, em 1970, ele já era o colunista. Jamil havia estudado no Colégio Divino Salvador, havia lançado um livro de poemas e era destaque na sociedade jundiaiense, o que o ajudava em seu trabalho de... Leia Mais

  • Fatos que nunca foram publicados no jornal: os bastidores da notícia!

    Para quem não conhece ou nunca viu uma redação e nem imagina o que ocorre entre a busca das informações e a publicação da reportagem no jornal, vale lembrar que entre a apuração dos fatos e o texto impresso com a foto vai um longo e difícil caminhar. Mas... Leia Mais

  • Lembranças de um jornal que estava começando a crescer

    Apesar de ter nascido no final da década de 1960, o Jornal da Cidade mostrou que estava vivo na década seguinte. Quando ele nasceu havia dois diários na cidade: O Jornal de Jundiaí e o Diário. Na década de 1970, o JJ comprou o Diário e começou a circulação... Leia Mais

  • Um pouco de Waldemar Gonçalves

    Quando o conheci, no início da década de 1970, era chefe de gabinete do prefeito Walmor Barbosa Martins e trabalhava, também, no jornal concorrente: eu, começando como repórter no Jornal da Cidade e ele com redator-chefe no Jornal de Jundiaí. Quando ele se transferiu para o Jornal da Cidade... Leia Mais

  • Humor ajuda na saúde e no trabalho do jornalista

    Já foi o tempo que jornalista tinha direito a aposentadoria especial, com 25 anos de registro em carteira. Isso foi antes de Fernando Henrique Cardoso ser presidente da República. Mas quando comecei na profissão, e isso já comentei aqui, na década de 1970, a profissão estava apenas na primeira... Leia Mais

  • Nos tempos do sorvete azul da Cremilk

    A década é de 1960 e sorvete, naquela época, era vendido em carrinhos, na rua, em frente às escolas e, principalmente nas esquinas na região central da cidade. Como sempre, o mais popular – e único na verdade – era o sorvete Kibon. No centro, os carrinhos estavam em... Leia Mais

  • Intervalo para promover teatro e a vinda de Walmor Chagas a Jundiaí

    Walmor Chagas, Cazarré, Ivete Bonfá, Guilherme Correa e Ana Rosa foram alguns nomes do teatro brasileiro que trouxe para Jundiaí em 1973. Jamais imaginei trazer peças de teatro para a cidade, mas as coisas aparecem na vida da gente de repente e tem que se aproveitar a ocasião. Foi... Leia Mais

  • Entrevistas com artistas valorizam Página de Variedades

    Quando voltei para o Jornal da Cidade, Plínio Vicente da Silva estava no comando do caderno de Esportes e ficara no meu lugar, como Redator-Secretário. A página de Variedades estava sendo feita uma vez cada repórter. Ninguém em definitivo, o que significava que recebi de volta este trabalho. Chegava... Leia Mais

  • A história de Marrom

    Conheci José Luiz Francisco no dia em que chegou ao Jornal da Cidade, no final de 1970. Levado pelas mãos de Ordival Seckler Machado, Zé Luiz, chamado assim já no dia que chegou, era do Anhangabaú, frequentava a igreja de Santo Antonio e pertencera a um grupo de jovens... Leia Mais

Página 1 de 2812345...1020...Última »