No País dos vendilhões…

Por em 24 de agosto de 2012

Caros amigos, pobre do país que vive sendo vendido por quem o deveria defender como obra de ofício, quer seja na justiça, no executivo, quer no legislativo e também na população em geral…
Nosso país passa por momentos difíceis, visto que os interesses pessoais ou corporativos ficam acima, aliás, muito acima dos interesses da população em geral, a qual é tratada, ou melhor, destratada, com a maior falta de respeito, com o desdém por aqueles que deveriam defendê-la…

Se não bastasse a desordem que implantaram nas instituições nacionais, eis que agora, os chamados “Mensaleiros”, após sete anos de retardo e postergação de seu julgamento, com o beneplácito dos órgãos da justiça (ou seria injustiça nacional), passam a contar com o comportamento duvidoso, ou no mínimo estranho, de determinados membros do nosso maior tribunal, que para tristeza nossa, transmudam-se de Ministro para aguerridos Advogados de defesa de seus “amigos”, triste país este…

Aliás, não sei a razão de minha contrariedade, não é inocência não, é que eu “ainda” acreditava na retidão de caráter dos componentes de nossas instituições, mas a cada dia que passa, chego à conclusão que o “corporativismo das sacanagens explícitas” vence os interesses maiores da sociedade, e tudo fica como se estivéssemos numa “democracia republicana”, ledo engano, vivemos hoje a “ditadura dos interesses de alguns canalhas” que roubam descaradamente os recursos da sociedade…

Verificamos que a tão decantada “Base aliada” do governo federal, não passa de um grupo de políticos interesseiros e mal intencionados, que são capazes de “vender a mãe” e ainda pedir troco, de fazerem as mais espúrias das coligações, desde que tenham seus interesses pessoais ou corporativos atendidos, por um governo tão espúrio quanto, mas que através da “propaganda enganosa” vende a imagem de puros e castos, quando em realidade são “farinha da mesma gamela”…

A população brasileira é tratada como um bando de incapazes, que podem ser engabelados com promessas políticas e sociais, que não passam pelo crivo da realidade em que vivemos, onde a segurança, onde a saúde e onde a educação são privilégios dos povos bem nascidos em países que respeitam seus cidadãos, mas vamos acordar, estamos num país chamado Brasil, que está a caminho da “Ponte que caiu”, e por esta razão nunca chegaremos ao outro lado do rio…

Este é o país dos contrastes, não dispomos de recursos para atender as mais comezinhas necessidades de nossa população, os aposentados (que contribuíram por no mínimo 30 anos) têm seus proventos atualizados por índices corrosivos desses proventos, a saúde do Sistema Único de Saúde (SUS) nos impõe um padrão de atendimento ao nível dos piores países do mundo, é comum vermos cenas de pacientes morrendo nas filas, ou então sendo dispensados para morrerem nas macas de outros hospitais, onde os bandidos são tratados com uma deferência especial por nossas leis, e o cidadão comum que trabalha e paga os impostos, fica sujeito à “pena de morte” imposta pela bandidagem, e a educação é tratada como “Custo da nação” e não como investimento nas futuras gerações…

Parafraseando o grande Capistrano de Abreu, que lá pelos idos de 1850 declarava que “A Constituição nacional deveria ter somente um artigo: Todo brasileiro tem que ter vergonha na cara”, acredito que já passou da hora de promovermos uma PEC para incluirmos o citado artigo em nossa Carta Magna, ou melhor, incluí-lo em substituição a uma série de artigos que são letras mortas, em razão do comportamento de nossos governantes…

Porém quando se trata de dar “pão e circo” á aquela parcela da população, que em razão da sonegação sofrida de sua educação, fica refém dos embusteiros que vivem lhes proporcionando os programas eleiçoeiros, como os chamados: Bolsa isto, Bolsa aquilo, Bolsa aquilo outro Bolsa Tudo, mas que investem a descoberto nas obras superfaturadas do interesse destes políticos, verdadeiros sanguessugas da nação, que abrem a mão para garantir os gastos com Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro, Copa do Mundo 2014, Jogos Olímpicos de 2016, além dos Pacs da vida, que deveriam ser entendidos como Pega Agora Companheiro…

Acooorda Brasiiil, pois, enquanto a dose de “Vergonha na cara dos brasileiros” estiver em baixa dosagem, ou quem sabem sem nenhuma dosagem, estaremos vivendo este lastimável estado de coisas, até por que esta população aceita as sacanagens cometidas contra ela como se fossem as coisas mais normais, está nos faltando uma grande dose de “ATITUDE Contra os desmandos praticados por esta Corja de pseudos políticos que nos enganam…

Prof. Carlos Justino da Silveira

Graduado em Pedagogia, Mestre em Administração de Empresas e Controladoria, atua na área de ensino, e atualmente em Consultoria e treinamento de pessoal, sendo Professor de Administração e Gestão Manufatureira e de Serviços do Centro Universitário de Santo André – UNIÁ.