Farmacêutica é morta por seu pit bull

Por em 8 de abril de 2013
Imagem Ilustrativa

A farmacêutica Bárbara de Oliveira, de 35 anos, foi atacada até a morte pelo seu próprio cão, da raça pit bull, em Itapira, a 170 km de São Paulo.

Ela estava sozinha com o cão em casa na noite de sexta-feira, quando foi atacada. Os vizinhos chamaram a Guarda Municipal após ouvirem gritos de socorro.

A residência foi arrombada e o cão estava próximo da mulher. Ao perceber a chegada dos guardas, o animal fugiu para o quintal. A vítima foi encontrada inconsciente, com ferimentos nos braços e na região do pescoço. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas os médicos constataram que ela já havia morrido no local.

Segundo informações de vizinhos e amigos, Bárbara e o marido criavam o cão havia 10 anos – o casal não tinha filhos. Imagens no perfil do Facebook da farmacêutica confirmam os relatos de que o pit bull chegava a dormir na cama do casal. O marido estava viajando no dia do ataque. Segundo Rodrigo Silva Bertini, que é médico veterinário do Serviço de Zoonoses da Prefeitura Municipal de Itapira e amigo da Bárbara, o cachorro já apresentava sinais de violência.

AGÊNCIA ESTADO