Delegado ministra palestra contra violência infantil

Por em 22 de maio de 2013
Jornal de Itupeva

No último dia 17 de maio, sexta-feira, a Prefeitura de Itupeva, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social, realizou uma palestra contra o abuso infantil e a pedofilia.

A palestra foi realizada pelo dr. Elias Ribeiro Evangelista, delegado titular de Itupeva, e reuniu servidores de diversas secretarias, membros do Conselho Tutelar e interessados da população.

Para o prefeito Ricardo Bocalon, é muito importante trabalhar a informação, principalmente num assunto tão delicado: “Temos de ficar atentos e a melhor maneira de prevenir os abusos contra as crianças e os adolescentes é informando a população”, disse.

Já Eri Campos, secretário da pasta, agradeceu ao dr. Elias por ter aceitado o convite e frisou que informação é o primeiro passo para proteger a população: “É muito importante que as pessoas estejam informadas sobre essa questão e, principalmente, saibam como agir no caso de necessidade”, avaliou.

Durante a palestra, o delegado Dr. Elias falou sobre a importância de conscientizar as pessoas, sobre os procedimentos que devem ser adotados no caso de violência e abuso infantil e respondeu a perguntas dos presentes, que participaram com muitas questões. “É muito importante esse contato para divulgar as informações para as pessoas, para estarem atentas, principalmente ao comportamento das crianças, observar quando há alguma mudança repentina. O trabalho da polícia é realizado quando o abuso já aconteceu, por isso é muito importante divulgar as informações e estar em sintonia com os serviços preventivos. Um abuso na infância pode ser devastador e causar tramas para o resto da vida da criança”, explicou.

Ainda, durante a palestra, durante as perguntas, muito foi esclarecido, como o fato de que, na grande maioria dos casos, o agressor é alguém próximo à família e à criança que, por sua vez, por não entender a natureza do abuso, pode até gostar do abusador.

“Em todo caso, é bom sempre ficar atento ao comportamento da criança e lembrar que o abusador não vai ter cara de ‘vilão’; muitas vezes ele é uma pessoa amável e educada. Basicamente, não há um perfil padrão para o agressor”, finalizou o Dr. Elias.

A data da palestra foi escolhida em referência ao dia 18 de maio, Dia Nacional do Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes (lei Federal 9.970/00), escolhido para esse dia por conta do “Crime Araceli”, ocorrido em 18 de maio de 1973, em Vitória (ES), quando Araceli Cabrera Sanches, de oito anos, foi sequestrada, drogada, espancada, estuprada e morta, tendo o corpo encontrado desfigurado por ácido seis dias depois do sequestro. Apesar da grande repercussão do caso na época, ninguém foi punido pelo crime.

Serviço:

Para denunciar crimes de abuso infantil, a pessoa pode entrar em contato com a Polícia Civil, Av. Guanabara, 323, ou pelo telefone: 4591-1101; ou se dirigir ao Conselho Tutelar, que fica no Centro de Atendimento ao Cidadão, na Rua Emancipadores do Município, 470, tel: 4591-3422 / 4496-5445.