Vigilante é baleado durante invasão

Por em 24 de maio de 2013
Jornal de Itupeva

Troca de tiros em um condomínio de Itupeva, no bairro Horizonte Azul, deixou um vigilante ferido na noite de anteontem. Três bandidos agiram na ação. Eles utilizaram um Ford Focus para chegar ao local e conseguiram fugir sem ser identificados.

C. L., 34 anos, foi alvejado no braço e encaminhado ao hospital São Vicente de Paulo, em Jundiaí. De acordo com informações da polícia, ele trocou tiros com bandidos na portaria do condomínio, logo após encontrar o porteiro rendido por dois bandidos. Em depoimento na Delegacia de Itupeva, outros dois funcionários responsáveis pela segurança do empreendimento contaram detalhes do ocorrido, informando que faziam ronda pelo local e solicitaram que vigia baleado fosse à portaria permanecer no local.

Ao ser baleado, ele teria pedido ajuda aos colegas, enquanto o porteiro conseguiu correr para o banheiro. Neste momento, ainda segundo o depoimento, o Focus usado pelos assaltantes passou em alta velocidade pela cancela, para dentro no condomínio, e foi acompanhado pelo veículo de outro morador, que chegava ao local sem saber o que estava acontecendo.

Segundo eles, imaginando se tratar de comparsas, o vigia baleado disparou contra o carro e atingiu o vidro, sem, contudo, acertar o morador. Na sequência, os bandidos voltaram por onde entraram e fugiram, sendo um deles com sangramento no rosto – a polícia não sabe se ele chegou a ser baleado ou se feriu com estilhados de vidros.

Questionado sobre a abordagem, o porteiro contou que dois dos três homens que ocupavam o Focus estavam armado e, depois de entrarem na guarita, obrigaram-no a permanecer com a cabeça abaixada. Exigiram, ainda, que os vidros e a porta fossem fechados, disseram que não lhe fariam mal se obedecesse e que, caso algum morador chegasse, não fosse feito contato verbal, mas apenas fosse aberta a cancela.

Segundo a investigadora-chefe Carla Branco, da equipe do delegado titular de Itupeva, Elias Evangelista, o setor de inteligência da unidade acredita que o os assaltantes quisessem roubar as armas dos vigilantes, e não pertences dos moradores. “As investigações prosseguem, agora, para se tentar identificar os criminosos”, concluiu a policial.

Jornal de Jundiaí