Babá Digital…

Por em 7 de outubro de 2013

Um dos mais célebres filósofos da Grécia antiga foi Heráclito de Éfeso (aprox. 535 a.C – 475 a.C), considerado o “Pai da dialética”, pois foi o pensador do… “tudo flui” (panta rei).

“No mundo nada é estático, tudo está em constante mudança. Nenhum homem tomará banho duas vezes sequer no mesmo rio, pois o homem não será o mesmo e o rio (também) não será o mesmo”.

Essa linha de pensamento, sinalizadora que tudo está em constante movimento no universo, constitui-se na singular protagonista das profundas transformações sociais, econômicas, religiosas, ambientais e culturais, ocorridas nas últimas décadas.

Um dos fatores que tem acelerado essas mudanças tem sido o espetacular avanço da tecnologia.

Neste mês de outubro, em que se comemora o Dia da Criança, poderemos constatar que a bola e a boneca, sonho de meninos e meninas, respectivamente há algumas décadas, sofrerão uma acirrada concorrência do computador e do iPhone….de última geração.

Uma simples analise retrospectiva nos mostra que na televisão aberta, reinaram, num passado não muito distante, excelentes programas infantis tais como: Sítio do Picapau Amarelo, TV Colosso, Bozo, Vila Sésamo, Bambalalão, Balão Mágico, Castelo Rá-tim-bum, Vila Sésamo e a Turma do Lambe Lambe, entre outros.

Apresentadoras com a Xuxa, Mara Maravilha, Angélica, Eliana, Mariane fizeram sucesso junto aos baixinhos.

Como o principal objetivo de toda empresa da iniciativa privada é a obtenção do maior lucro possível, na venda de seus produtos e serviços, com certeza outros programas com maior liberdade de publicidade, se mostraram mais rentáveis.

Com os revolucionários recursos da TI (Tecnologia da Informação), disponíveis atualmente, excelentes escritores de livros infantis, geniais publicitários brasileiros, entre os melhores do mundo, a televisão brasileira poderia, de maneira lúdica, estar “polinizando” princípios éticos, valores morais e respeito à natureza e ao Ser humano.

Estamos convencidos, que o pequeno espaço de programas infantis na grade das TVs, que é concessão do Poder Público, está privando as nossas crianças de assistirem entretenimentos adequados a sua faixa etária, com impacto altamente positivo no campo educacional.

A nossa expectativa é que a tecnologia, que está aproximando as distâncias, não esteja distanciando as proximidades.

Faustino Vicente

Consultor de Empresas e de Órgãos Públicos, Professor e Advogado – Jundiaí (Terra da Uva) – São Paulo – Brasil – E-mail: : faustino.vicente@uol.com.br