Bodas de Ouro

Por em 23 de dezembro de 2013

Se existem músicas que marcam a vida de uma pessoa, pessoas marcam muito mais… mas a melodia é sempre o direcionamento. E só de ouvir a melodia, as lembranças resurgem, o tempo revigora. E a canção nos leva ao início, ao “onde tudo começou”.

E Poços de Caldas não é tão longe assim. Era lá que os casais curtiam suas luas de mel, era lá o ponto turístico principal de São Paulo, Minas, Rio, de quase todo o Brasil. E foi lá que Virgínia e Décio se conheceram. E o começo, se não tinha cupido, tinha Gatão e Tia Cida.

E foi há mais de meio século… Já parou para pensar? E os encontros começaram a ocorrer em Jundiaí, a vinda de Décio até a rua Frei Caneca, até o casamento há exatos 50 anos.Ela, uma linda menina, pois ainda não completara dezoito anos e ele com vinte e cinco homem independente vindo de Barretos morando sozinho em São Paulo , para a família uma preocupação pois se casando ela deixaria Jundiaí , mas era o sonho de Virginia ir para a capital. E assim foi.

As viagens eram, agora, do casal para Jundiaí e isso significava que Rita e Márcia tinham que deixar o quarto onde dormiam para o novo casal. Era um festa ir para São Paulo visita-los, pois nosso querido pai Alcides era guarda trem e a família viajava de graça,e eles tinham televisão e moravam em apartamento na época era um luxo. Após dois anos a família cresce, claro! Sempre com as bênçãos e graças de Deus. E, com a chegada de Vinícius, o primeiro neto de Alcides e Graciosa, quem perde o lugar de rainha é a Rita que, com seus sete anos se sente rejeitada.

Agora, o espaço é de Vinícius… Claro que tudo isso, gerado pelo ciúme infantil, mas Rita e Vinícius sempre brincaram juntos e é coberto de mimos pela tia Márcia que gastava seus trocados em carrinhos de plástico comprado na feira. E Vinícius cresce, a vida passa, os anos passam… dez anos , vinte anos , trinta anos… quarenta anos de casados…

Teríamos muita coisa para falar deste casal, mas o essencial é que hoje comemoramos seus 50 anos de união com altos e baixos tristezas e alegrias e por fim uma grande vitória pois 50 anos de casamento isso sim hoje é uma raridade ou um desafio nos nossos tempos. Sempre se percebe a presença de Deus em cada momento, em cada ação.

A vida nos proporciona sempre grandes e inesquecíveis momentos. Se há uma serenata ao luar e o luar de hoje é propício para isso, brindemos a Deus, brindemos a cada um de nós as alegrias de cinquenta anos de convívio, alegrias e amor de Décio e Virginia.

(homenagem aos 50 anos de casamento de Décio e Virginia Araújo comemorados no dia 21 último)

Nelson Manzatto

Jornalista profissional desde 1976 e escritor desde 1998 quando publicou seu primeiro livro. Membro da Academia Jundiaiense de Letras desde 2002 onde ocupa a cadeira número 39. Publicou os seguintes livros: “Surfistas ferroviários ou a história de Luzinete“, em 1998; “Contos e Crônicas de Natal”, em 2007 e "Momentos - Crônicas de Nelson Manzatto", lançado em 2012 durante a 22ª Bienal Internacional do Livro. http://blogdonelsonmanzatto.blogspot.com.br/