Briga motivou morte de cinegrafista do Exército

Por em 29 de janeiro de 2014
Jornal de Itupeva

Uma briga de trânsito pode ter motivado a morte de um cinegrafista do Exército de 42 anos, em Itupeva, durante a noite de domingo (26). Luciano Magnus de Almeida Santos foi assassinado com um tiro no peito. Ele foi a sexta vítima de homicídio doloso (com intenção) em seis dias na Região de Jundiaí.

Nesta segunda-feira (27), o corpo de uma mulher de 41 anos foi encontrado amordaçado e com sinais de asfixia em Itatiba, elevando a 12 o número de mortes violentas somente no primeiro mês de 2014.

Professor de educação física e de artes marciais, Magnus pilotava uma motocicleta Kawasaki ZX6-R, levando a namorada na garupa, quando teria discutido com o condutor de um veículo Astra, de cor prata, segundo o delegado titular de Itupeva, Elias Evangelista Júnior, responsável pela investigação. Acusado do crime, Fábio de Souza Pereira, motoboy de 25 anos, apresentou-se na tarde desta segunda-feira (27) à Polícia Civil e foi indiciado por homicídio qualificado (motivo fútil).

O crime ocorreu no cruzamento das avenidas Luiza Stella e Emílio Chechinato, na Vila São João, mas vítima e acusado já viriam discutindo por ruas da cidade devido a uma suposta manobra feita por um deles que teria desagradado o outro. Namorada de Santos, uma inspetora de qualidade de 29 anos deve prestar depoimento hoje ao delegado Elias Evangelista.

ACUSADO
De acordo com o delegado de Itupeva, o setor de investigações da unidade chegou ao acusado após identificar o proprietário do Astra envolvido no crime, que teve as placas anotadas. “Trouxemos o dono do carro à delegacia, que é o pai do acusado, e ele informou que o filho trabalhava como motoboy em São Paulo”, explicou o policial.

Elias Evangelista comentou que, percebendo que havia sido descoberto, o motoboy resolveu se apresentar e, em depoimento, confessou o crime, alegando como motivação a discussão de trânsito.

Caso seja condenado por homicídio qualificado, Fábio de Souza Pereira pode pegar uma pena de até 30 anos de reclusão.

VÍTIMA
Santos foi sepultado no Cemitério Parque dos Ipês, em Jundiaí, às 17h desta segunda-feira. Parentes e amigos lamentaram o ocorrido, entre eles o comandante do 12º Grupo de Artilharia de Campanha (GAC), tenente-coronel Luciano Antonio Sibinel. “Era um grande amigo, sempre disposto a resolver todos os problemas da corporação e ia a campo junto com os soldados. Estou bastante surpreso com essa morte estúpida”, declarou o oficial.

Parente do cinegrafista, a jornalista Ariadne Gattolini também lamentou a morte. “Luciano Magnus era luz, coração e bondade. Meu irmão do coração, filho do ex-marido de minha mãe. Crescemos unidos pelo amor e pela convivência com nosso irmão em comum, Rogério. Era bom filho, bom irmão, bom companheiro”. Santos trabalhava para o Exército desde 1992 e morava no Centro, em Jundiaí.

Geraldo Dias – JJ