Motociclista é morto por gesseiro bêbado

Por em 29 de setembro de 2014
Jornal de Itupeva

Um gesseiro supostamente bêbado matou um motociclista, morador do Jardim Alegria. Após negar assoprar o ‘bafômetro’, o acusado foi levado para a Delegacia, onde pagou R$ 2.172 de fiança e foi colocado em liberdade.

Um grave acidente, causado pela imprudência de um motorista, ceifou a vida de um jovem de apenas 26 anos, morador do Jardim Alegria, em Itupeva, na noite do último sábado (27). O cabo Coelho e o soldado Silvio foram acionados para a avenida Francisco Nakazato onde encontraram com a vítima sendo socorrida pelo Serviço de Resgate do Município. Ao dar entrada no Hospital Nossa Senhora Aparecida, o motociclista não resistiu aos graves ferimentos e morreu.

De acordo com o boletim de ocorrência, registrado na Delegacia de Polícia de Itupeva, o gesseiro C.A.B.M, de 23 anos, morador de Itupeva, conduzia um veículo Gol com placas de Itupeva pela Avenida Francisco Nakazato, no sentido Centro/bairro, quando na altura do Jardim Pacaembu I aconteceu o acidente.

Ao realizar uma ultrapassagem em local proibido, o Gol bateu de frente contra a motocicleta Honda Fan 125, placas de Jundiaí, que era conduzida por José Roberto Pereira Silva, 26 anos, morador do Jardim Alegria. Com a força do impacto, José Roberto sofreu ferimentos generalizados, principalmente na região da cabeça, levando-o ao óbito logo que deu entrada no Pronto Socorro local.

Ainda segundo o boletim de ocorrência, o gesseiro apresentaria sinais notórios de embriaguez, tendo ele se negado de realizar o teste do etilômetro, que é o aparelho capaz de medir a dosagem alcoólica expedida pelos pulmões, conhecido por muito como ‘bafômetro’, tendo ele recebido a voz de prisão.

Conduzido à Delegacia de Polícia de Itupeva, o acusado foi levado até o hospital para coleta de amostra de sangue. O resultado definirá a porcentagem de álcool em seu sangue. Ele foi apresentado ao delegado plantonista, Ruiter Martins da Silva, que após se cientificar do ocorrido ratificou a voz de prisão pelo crime de homicídio culposo na direção de veículo automotor, arbitrando a ele a fiança no valor de três salários mínimos. Ao pagar o valor, o acusado do homicídio foi liberado para responder o processo em liberdade.

“A combinação de bebidas alcoólicas e direção de veículo nunca deram certo e, em muitas vezes, tem ceifado vidas. O número de condutores que vem sendo flagrados ao volante embriagados vem preocupando as autoridades do município, uma vez que toda semana são registrados cerca de 4 a 5 boletins de embriaguês ao volante. Em muitas das ocorrências, os motoristas são flagrados em blitzes realizadas pela polícia em pontos diferentes da cidade, porém, as atitudes mal pensadas desses condutores, que infringem e desrespeitam as leis, tem custado vidas, assim como a de José Roberto”.