Consumidores reclamam do pãozinho de Itupeva

Por em 13 de maio de 2015
Jornal de Itupeva

O pãozinho de todas as manhãs e comercializados em Itupeva, vem sendo alvo de críticas de consumidores. Nas redes sociais, o Jornal de Itupeva recebeu várias reclamações, como a do leitor, Oswaldo Merino, que afirma que o alimento produzido em Itupeva está ‘perdendo as suas características’.

“Vejam na foto o tradicional pãozinho francês, que estávamos acostumados a comprar, e veja o pãozinho que estão ‘empurrando’ para o consumidor”, disse o leitor.

Já para Cristina V. da Silva, “alguns estabelecimentos vendem um pãozinho delicioso, bonito e com crocância. Mas realmente, algumas padarias estão deixando a desejar. A minha arma é a seguinte: quando chego em um lugar e vejo aquele pãozinho murcho e chato viro as costas e compro em outro lugar, que tenha mais respeito ao consumidor”, disse.

O pãozinho francês é produzido todos os dias nas padarias, sendo o mais consumido no Brasil, além de ser uma das principais fontes calóricas da dieta dos brasileiros. Não obstante, o pão tipo francês é o grande gerador de fluxo de clientes dentro das padarias; em sua maioria, micro e pequenas empresas.

Grande parte dos consumidores desconhece que todas as panificadoras são obrigadas a seguir a legislação, entre elas as normas do INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) e também da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que determinam a qualidade dos alimentos em sua comercialização.

Apesar da sua boa aceitação em todo território nacional, o pão tipo francês pode apresentar variações em suas características físicas e sensoriais, devido principalmente às mudanças nos ingredientes e nas proporções utilizadas, aos tipos de equipamentos e às condições de processamento. Mas visando o lucro, algumas padarias de Itupeva estão oferecendo um pãozinho de qualidade muito inferior, tanto em tamanho, aspecto, características e muito possivelmente, também, em valor nutricional.

Os comércios que não estiverem cumprindo com as exigências da portaria do Inmetro, estarão sujeitos às penalidades previstas em lei como notificação, auto de infração e multa.

Dicas
A comercialização do pão francês ou de sal deve ser feita somente a peso, ou seja, deve ser pesado na presença do consumidor. Compre em panificadoras que apresentem um pão que segue as normas do INMETRO.

A pesagem do pão deve ser feita de modo que o consumidor possa acompanhar as indicações do mostrador, como o peso e o preço a pagar. Portanto, deve ser verificado se na hora da pesagem o estabelecimento possui uma balança instalada em local de fácil visualização. A indicação do preço a pagar pelo quilograma deve ser afixada próxima ao balcão de venda, em local de fácil visualização pelo consumidor. Ao realizar a pesagem o peso da embalagem deve ser descontado.

De acordo com a portaria INMETRO n˚ 146/2006, o pão francês só pode ser vendido a peso, e não em unidades.

Oswaldo Merino também orientou aos consumidores que acessem o link com as normas e características do Inmetro, bem como entender como se faz para rejeitar ou qualificar um pão francês. O link das normas que regulam a fabricação do pão francês é o:    http://stinpan.org.br/docs/norma_pao_frances.pdf