Bancos abrem as portas após 21 dias de greve

Por em 27 de outubro de 2015
Jornal de Itupeva

Depois de 21 dias de paralisação, os bancos públicos e privados de Itupeva, Jundiaí e Região reabriram, nesta segunda-feira, dia 26 de outubro, as portas para receber o público. Já nas primeiras horas da manhã, depois de aceitar o acordo de aumento de 10% da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), os funcionários dos bancos privados (como Bradesco, Itaú e Santander) já abriram as agências, mas somente no final da tarde, em uma segunda assembleia, é que os trabalhadores dos bancos públicos (Caixa Econômica e Banco do Brasil) também resolveram aceitar a proposta.

Nesta terça-feira (27), segundo o Sindicado dos Bancários de Jundiaí e Região, 100% das agências abriram as portas. O presidente do sindicato, Douglas Yamagata, explica que, pela manhã, 78% dos trabalhadores votaram a favor da proposta dos bancos, e isso facilitou para que pudessem voltar aos trabalhos. “Agora com a aceitação dos trabalhadores, todos voltam ao trabalho nesta terça-feira (27). As agências foram informadas para abrir as portas ao público”, explica.

Com o novo índice, a categoria acumula 20,83% de ganho real nos salários e 42% nos pisos. O vale-refeição será de R$ 29,64 por dia, com reajuste de 14% e 3,75% de ganho real.

Durante a paralisação, que começou no último dia 6 de outubro, pelo menos 500 mil bancários em todo o País reivindicavam 16% de reajuste, além do fim das demissões e do assédio moral e mais contratações para melhoria no atendimento ao cliente. Só na regional de Jundiaí foram 2,5 mil funcionários parados entre as 120 agências das cidades de Itupeva, Jundiaí, Várzea Paulista, Campo Limpo Paulista, Caieiras, Franco da Rocha, Francisco Morato, Jarinu e Atibaia.

Em nota publicada no site da categoria é informado que a proposta da Fenaban também aceita abonar 63% das horas dos trabalhadores de 6 horas, de um total de 84 horas, e 72% para os trabalhadores de 8 horas, de um total de 112.