“Drogas? Diga Não” fecha o mês de aniversário do CCI

Por em 29 de junho de 2016
Jornal de Itupeva

Na semana em que o Centro de Convivência do Idoso, CCI, completou um ano de existência, a Prefeitura preparou uma programação especial para todo o mês de julho que foi fechado com chave de ouro com a palestra “Drogas? Diga Não” com o instrutor de sobriedade Marcelo Canelas, que durante uma hora e meias falou sobre suas experiências com a dependência química, a luta contra o vicio e a vida sem as drogas.

As drogas é um problema que não é especifico do apenas do Brasil, em um relatório divulgado no ano de 2014, pela ONU (Organização das Nações Unidas) apontou que cerca de 5% da população mundial entre 15 e 64 anos, o que corresponde a uma média de 243 milhões de pessoas, são usuários de drogas ilícitas. O relatório ainda destacou que o consumo e o tráfico de cocaína aumentaram na América do Sul, particularmente no Brasil. Este acréscimo ocorreu apesar da menor disponibilidade global da droga, com a queda na produção de 2007 a 2012.

Transformando o titulo da palestra em mantra “Droga? Diga não” foi repetido e destacado inúmeras vezes por Marcelo, que após uma vida cheia de altos e baixos, passando pelo vicio do álcool e das drogas ilícitas o palestrante escolheu o caminho mais complicado para viver, e personificou Dante, da Divina Comédia, passando e enfrentando todos os riscos do inferno, tentando se redimir no purgatório e hoje vive no paraíso da sobriedade, no qual ele destaca com toda a sua experiencia, que as drogas não é apenas um problema do usuário e sim de todos: “As drogas não é um problema apenas de quem se droga, o álcool não é um problema apenas dos alcoólatras, esses são problemas de todos nós, de nossa sociedade, porque isso interfere na vida de todos.”.

Sincero e realista durante toda a palestra, Marcelo disse da dificuldade que os pais enfrentam para afastar seus filhos do caminho dos vícios: “Vocês tem que instruir seus filhos para que eles enfrentem tudo isso, para que quando ele passe por essas situações que a vida prega com propriedade” e ainda deixou no ar a dica de que para ele pode ajudar pais e filhos a caminharem juntos e enfrentarem a ‘área de risco’, o amor: “Temos que ensinar a nossos filhos a serem felizes, porque hoje as pessoas querem ser felizes depois que compram um celular, depois que começam a namorar e esquecem de serem felizes.”.

“Se a pessoa não se achar, não se conhecer para onde ela vai? Sabe o que está acontecendo hoje, a gente está deixando nossos jovens por ai, jogados, dizendo que eles são espertos e quando acontece algum pequeno problema do cotidiano, onde a pessoa pessoa passa a não se achar, a não se conhecer, chega um espertinho e diz que já passou por aquela situação e o encaminha para o mundo das drogas”, alertou Marcelo.

Coaching do workshop “Mapa da Vida”, atividade que vem acontecendo durante todo o mês de junho, Valter Assis prestigiou a palestra “Drogas? Diga não” e destacou que Marcelo fala sobre um assunto que é uma fato, mas que as pessoas não conversam sobre ele: “A palestra traz um elemento novo ao falar da dependência química, e principalmente é novo não apenas porque ele fala o que muitos não querem falar, mesmo isso sendo um fato em nossa sociedade, mas pela forma como ele aborda, ele resgata valores desde o patriotismo até questões como direitos e deveres de um ser humano. O Marcelo também citou alguns exemplos e falou de alguns pequenos gestos que falamos para nossas crianças que mudam para sempre as vidas delas.”.

Para a frequentadora do CCI, a senhora da melhor idade, Maria Gorete, 68 anos, disse ter refletido muito durante a palestra: “Estou me sentindo mais preparada para exercer o meu papel de mãe e avó, o de educar. Refleti muito enquanto ele falava, vi meus erros e acertos durante a vida e por isso estou mais preparada.”.