Bolinha é detido de cueca com 50 kg de carne furtada de creche

Por em 28 de novembro de 2017
Jornal de Itupeva

O acusado estava com 50 quilos de carnes furtadas da creche do Portal de Santa Fé. Ao perceber a chegada da polícia, ele subiu no guarda-roupas e entrou em um maleiro, mas foi localizado e preso.

Uma ação que envolveu a Polícia Civil e a Guarda Civil de Itupeva culminou com a prisão de um homem, já conhecido no meio policial, que confessou a receptação de cerca de 50 quilos de carnes que foram furtadas da creche Nossa Senhora de Lourdes, localizada no Portal de Santa Fé.  O crime aconteceu na madrugada desta segunda-feira, dia 27, mesma data da prisão do acusado.

De acordo com o Delegado titular de Itupeva, dr Adalberto Ceolin, ele e sua equipe tomaram conhecimento do furto das carnes, bem como de um monitor de computador, logo pela manhã de segunda-feira, quando a direção da creche compareceu à delegacia para o registro do boletim de ocorrência.

Ceolin disse à reportagem do Jornal de Itupeva, que elementos ainda não identificados haviam entrado no refeitório da creche, mediante arrombamento de uma das janelas. Uma informação ajudou os policiais a identificarem um dos acusados do furto, que é morador das proximidades da creche.

Os policiais civis, Ricardo, Odair e Latorre, apoiados pela equipe da GCM, comandada pelo Subinspetor Gonçalves e composta pelos GCMs Gilberto, Shaid e Capobianco, foram até o local e quando chegaram na entrada do prédio perceberam uma movimentação estranha que despertou a atenção dos agentes de segurança.

Nesse momento, um homem posteriormente Identificado como P.H., vulgo ‘Bolinha’, correu para o interior da residência, momento em que alguns vizinhos informaram que os produtos furtados estariam no interior da casa do acusado.

Os policiais entraram na residência e encontraram com a esposa e o filho do acusado. Na geladeira foram encontrados cerca de 50 quilos de carnes, que foram furtadas da creche. Uma varredura foi feita na residência, momento em que encontraram ‘Bolinha’ somente de cuecas, escondido dentro de um maleiro, na parte superior do guarda roupas.

Ele foi detido e, ao ser questionado, confessou ter receptado a mercadoria dizendo não saber informar quem o vendeu. Ele recebeu a voz de prisão no local pelo crime de receptação, sendo conduzido até delegacia de Itupeva onde o delegado ratificou a voz de prisão em flagrante pelo crime de receptação.

A polícia continua na investigação, uma vez que há suspeitas de que o receptador possa fazer parte de uma quadrilha especializada em furtar repartições públicas de Itupeva. Ele seria submetido à audiência de custódia nesta terça-feira (28) no Fórum de Jundiaí, podendo ser mantido preso até o seu julgamento ou posto em liberdade conforme o entendimento Judicial.

Sem a condenação por parte da Justiça, a identidade e foto do acusado não serão revelados pelo jornal.