Cabreúva insere LIBRAS em sala de aula

Por em 25 de outubro de 2019
Com LIBRAS, professora inclui aluno surdo e transforma cotidiano na sala de aula

Gestos e palavras se complementam na aula da professora Diane Daniele Vieira, que por meio do projeto ‘LIBRAS na Sala de Aula : Conhecendo o Mundo do Silêncio’, tem feito a diferença na vida das crianças e, em especial, na do aluno Pedro Henrique Ferreira Ramos, de 11 anos. O menino, que é surdo, foi a grande inspiração da profissional, que faturou R$ 20 mil ao vencer a categoria ‘Desenvolvimento da Cidadania’, no Prêmio ‘EDUCAB Profª Terezinha Togni: Boas Práticas na Educação’, idealizado pelo prefeito de Cabreúva, Henrique Martin.

Professora na EMEB Maestro Benedito Mesquita da Silveira, ela está na rede municipal de ensino desde 2014. As vidas de Diane e Pedro se cruzaram em 2017, quando ela recebeu o convite para trabalhar a inclusão do menino em sala de aula.

No início, o foco não foi a aprendizagem. “A princípio, a proposta foi valorizar a língua materna, fazer com que ele se sentisse pertencente à escola, que para ele era um universo diferente. Foi um trabalho de resgate da autoestima, um ganho social e também emocional”, diz a professora, que desde o primeiro contato com o aluno passou a escrever um diário de bordo, com cada novo passo e conquista de Pedro ao lado de toda a turma, que já está craque quando o tema é LIBRAS, a Língua Brasileira dos Sinais.

“O trabalho com os demais alunos foi surpreendente, eles se interessaram bastante. Agora, o Pedro se sente parte da sala de aula”, conta a professora, orgulhosa.

Para Pedro, a vida mudou depois do trabalho da professora Diane. “Eu gosto muito das aulas e também de poder me comunicar com os amigos da escola”, conta o aluno, que perdeu a audição aos 3 anos de idade, por conta do coice de um burro.

Quem vive o dia a dia na sala de aula, se inspira com a história. “Eu quero ser como a professora Diane quando crescer. Estou adorando as aulas”, comenta Kauanny de Souza Lima, aluna de 10 anos. Ela conta que a comunicação e amizade com Pedro mudaram para ela e toda a turma após o trabalho da professora. “O convívio com ele aumentou, pois agora nos entendemos.”

A profissional conta que não esperava o prêmio EDUCAB. “É uma mistura de alegria, gratidão e felicidade. Estou muito feliz por ver a educação valorizada e reconhecida no município. É algo que mostra que estamos no caminho certo. Que essa  ideia inspire a sociedade a olhar o próximo como alguém importante e não apenas o seu eu.”

O PRÊMIO -  Segundo o prefeito Henrique Martin, a ideia veio para valorizar os profissionais da rede municipal de ensino, melhorar a aprendizagem e reduzir a evasão escolar. “A proposta é incentivar e reconhecer o esforço dos professores”, conta, ressaltando que a proposta seguirá em 2020.

Além de Diane, a professora Cláudia Frasquetti Ferreira do Nascimento, da EMEB Miguel Elpídio da Costa, que implantou o projeto ‘Alfabetizando Ludicamente’, também levou R$ 20 mil. Ao todo foram R$ 60 mil em prêmios, divididos em duas categorias: ‘Compromisso com a Qualidade das Aprendizagens’ e ‘Desenvolvimento da Cidadania’. Além dos R$ 20 mil por professor, as escolas nas quais elas atuam também foram contempladas: R$5 mil para a continuidade e desdobramento de cada projeto selecionado, valor que será repassado ao Conselho de Escola e Unidade Escolar; e outros R$ 5 mil para custear uma atividade de enriquecimento cultural definida com toda a comunidade escolar, verba que também será gerida pelo do Conselho e Unidade Escolar.