Blogs e Colunas

  • Observadores resignados

    Nesse turbilhão de acontecimentos políticos e sociais, falta-nos vergonha na cara aos tupinicas. É constante em meus escritos a sugestão de abandono de nossa condição de meia-cidadania e o apelo a outro modelo de educação, que garanta futuro a crianças e jovens. Qualquer testemunha ocular e fidedigna do Brasil... Leia Mais

  • A Hora Nipônica de Iwao Miyahara

    Quando vi a programação da rádio, no meu primeiro dia de trabalho, me surpreendi: é que às 18h30 entrava no ar o programa “Hora Nipônica” e isso me mostrou algo que nunca tinha visto: um programa só para japoneses em Jundiaí. Mas antes mesmo de o programa entrar o... Leia Mais

  • Histórias de Padre Hugo

    Alguns dias antes de minha Primeira Comunhão, em outubro de 1959, padre Alberto, o vigário de Vila Arens, chamou as crianças para os bancos da frente, na Igreja, e apresentou a todos um padre que eu ainda não conhecia e que tinha o nome de Hugo. Com um sorriso... Leia Mais

  • Dona Benedita, a primeira mestra a gente nunca esquece

    Se é verdade que ninguém passa pela vida de outrem por acaso, é correto dizer que Dona Benedita Alzira de Moraes Camunhas foi uma das pessoas mais marcantes em minha vida. Afinal, foi com ela que aprendi a ler e escrever. Meu contato com ela durou todo ano de... Leia Mais

  • A jornada de Ademir Fernandes

    Conheci Ademir Fernandes na redação do Jornal da Cidade em 1970. Estava começando como revisor e ele já era repórter e editor de esportes, além de viajar todo dia para São Paulo, onde trabalhava no Jornal da Tarde. Alegre, didático, adorava trocadilhos e se divertia com o grande Palmeiras... Leia Mais

  • A alegria interrompida de Fábio Pontes

    Conheci Fábio Pontes de Oliveira em 1997, quando trabalhamos juntos na Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Jundiaí. Fábio chegou como diretor, demonstrando competência e conquistou a equipe com seu sorriso permanente e uma alegria enorme de desenvolver projetos e trabalhar para que a ação de todos atingisse o... Leia Mais

  • Minha madrinha Olga Mathion

    Olga Mathion apareceu em minha vida quando comecei a publicar minhas crônicas no Jornal de Jundiaí, no caderno Leitura de Domingo. Sempre que um texto meu saia publicado, ela aparecia na portaria do jornal, deixando um envelope, com um recado. E o recado era uma ou duas linhas de... Leia Mais

  • Os “causos” de Aparecida Mariano

    Conheci Aparecida Mariano de Barros na Academia Jundiaiense de Letras onde entrei em 2002. Claro que demorou um tempo para a gente interagir, mas as conversas giravam em torno das crônicas que eu publicava no Jornal de Jundiaí, no caderno Leitura de Domingo que desapareceu com o tempo. Mas... Leia Mais

  • Quando junho emocionava as crianças

    Mês de junho, no início dos anos de 1960, participar da Cruzada Eucarística Infantil, na igreja de Vila Arens, era algo inesquecível. Tão inesquecível, que estou aqui para relembrar fatos deste tempo. Neste mês, toda sexta-feira, tinha Adoração ao Santíssimo e troca de espinhos do Sagrado Coração de Jesus.... Leia Mais

  • Tempo de festa junina

    Mês de junho, recheado de festas dos santos era motivo de alegria para a garotada e para as famílias da rua de casa. Por termos um quintal muito grande onde até chegávamos a jogar bola, envolvendo dez a doze crianças, era ali que acontecia a festa junina das famílias... Leia Mais

Página 6 de 29« Primeira...45678...20...Última »